Bebida pode trazer benefícios / Imagem: iStock

Adora café? Confira 17 benefícios da bebida à saúde.

Aprenda também como consumir e quem não pode ingeri-lo.

Já tomou seu cafezinho hoje? O café é a segunda bebida mais consumida no Brasil, perdendo apenas para a água, de acordo com a Associação Brasileira da Indústria do Café (ABIC).

Aqueles que cultivam o hábito de beber café diariamente ingerem uma série de nutrientes. Destacam-se entre eles, a cafeína – famosa por seu efeito estimulante que dá aquela energia extra para o organismo. Além disso, o grão é repleto de compostos antioxidantes, vitaminas e minerais que trazem diversos benefícios e pode até mesmo prevenir doenças. Quer saber mais sobre esses benefícios? Confira abaixo:

1. Afasta os problemas cardíacos

Uma pesquisa realizada com 140 mil pessoas pela Escola de Saúde Pública da Universidade de Harvard (EUA) mostrou que quatro doses diárias do café diminuem em até 11% o risco de insuficiência cardíaca, que é uma condição em que o coração não consegue bombear o sangue adequadamente para o corpo.

Ao que tudo indica, os responsáveis por esse benefício são os polifenóis da bebida. “Eles combatem os radicais livres no organismo que alteram o DNA e aumentam o colesterol ruim no corpo, causando problemas cardíacos como infartos, por exemplo”, explica Maria Fernanda Vischi D’Ottavio, nutricionista do HCor.

2. Ajuda no emagrecimento

O café acelera o metabolismo e a queima de gordura. De acordo com um estudo publicado no International Journal of Sports Nutrition e no Scandinavian Journal of Medicine and Science in Sports, a queima de gordura ocorre devido à ativação do sistema nervoso simpático e a oxidação lipídica. A cafeína aumenta os níveis de adrenalina no sangue, que dilui as células de gordura e as libera para o sangue.

O efeito termogênico também é bastante apontado quando se fala em emagrecimento e café. E apesar de ele ser importante por acelerar o metabolismo, é importante lembrar que o alimento não é consumido em quantidade suficiente para sozinho promover o emagrecimento.

3. Previne diabetes

Diversos estudos científicos comprovam que o consumo moderado do café pode diminuir a glicemia no sangue de pessoas com diabetes. Em uma pesquisa, com cerca de 200 mil pessoas nos EUA, Europa e Ásia, comprovou-se uma redução de 35% no risco do surgimento de diabetes de quem consumia pelo menos duas xícaras da bebida por dia.

“O café, tanto o regular quanto o descafeinado, possuem antioxidantes como o ácido clorogênico, que tem sido associado ao aumento da sensibilidade da insulina, o que contribui para a redução do risco de desenvolver diabetes tipo 2. O magnésio presente no café também desencadeia a mesma ação”, afirma D'Ottavio.

4. Dá energia

O café é considerado um estimulante energético, e não é apenas fama. A bebida realmente deixa o organismo mais ativo. As substâncias presentes no poderoso grão fazem com que o rendimento do corpo aumente e combatem o sono e o cansaço. “A cafeína estimula o sistema nervoso central, que está associado a uma melhora no estado de alerta, na capacidade de aprendizado e resistência ao esforço físico”, completa Dan Waitzberg, nutricionista do Hospital Santa Catarina.

5. Evita problemas respiratórios

A cafeína possui um efeito broncodilatador e reduz a fadiga dos músculos respiratórios. De acordo com a Associação Brasileira da Indústria de Café, diversos estudos comprovam que a probabilidade dos consumidores moderados de café desenvolver os sintomas usuais de asma é, em média, 30% menor do que os não consumidores. Após o consumo moderado do café, há uma melhora na função pulmonar por até 2 horas. Pesquisas também mostram que reduzem os sintomas e podem prevenir manifestações da doença.

6. Previne câncer

Há diversas evidências científicas que comprovam a sua eficácia para diferentes tipos de câncer. Uma pesquisa da Universidade de Lund (Suécia) mostrou que o café protege contra o câncer de mama.

E o Istituto di Ricerche Farmacologiche Mario Negri (Itália) divulgou em uma análise de pesquisas que ocorreu uma redução de 41% do desenvolvimento do câncer de fígado em pessoas que bebem café em relação às que não consomem a bebida. “Estudos mais recentes têm demonstrado que o consumo moderado de café pode reduzir em 18% o risco de câncer. Acredita-se que esse benefício ocorra devido à presença de antioxidantes no café, substâncias responsáveis por combater os radicais livres presentes no desenvolvimento da doença”, explica Waitzberg.

7. Melhora o intestino

O café ajuda a liberar um hormônio que estimula o intestino grosso a realizar os movimentos gástricos. O consumo da bebida aumenta as contrações do intestino, que empurram os resíduos para fora do organismo. Além disso, a cafeína provoca um aumento na produção de ácidos biliares no corpo. Beber café pode fazer com que a vesícula libere a bile no intestino, o que solta o intestino e aumenta a vontade de ir ao banheiro.

8. Aumenta a memória

A cafeína fortalece alguns tipos de memória por até 24 horas após seu consumo, como mostrou um estudo publicado no periódico Nature Neuroscience. A pesquisa foi realizada com 44 pessoas e comandada por pesquisadores da Universidade Johns Hopkins (EUA). Foi comprovado que o cérebro apresentou um nível mais profundo de retenção de memória em pessoas que consumiram mais cafeína.

9. Diminui pedras nos rins

O cálculo renal, conhecido também como pedra nos rins, ocorre quando há formação de massas sólidas nos rins e canais urinários. E o café pode aliviar esse problema de saúde. A Universidade Católica do Sagrado Coração (Itália), analisou três pesquisas com mais de 200 mil participantes. Comprovaram que quem consumia mais café tinha um risco de até 31% menor de ter cálculo renal. Os pesquisadores afirmaram que a cafeína deixa a urina mais diluída, o que evita a formação das pedras nos rins.

10. Combate a depressão

Há diversos estudos que relacionam o consumo do café com a diminuição dos sintomas da depressão. Já foi comprovado que doses moderadas de cafeína alteram positivamente o humor e aumentam a disposição devido a seu efeito estimulante. Um estudo da Escola de Saúde Pública de Harvard (EUA) mostrou que as mulheres que bebiam de duas a três xícaras de café por dia diminuíram em até 15% o risco de depressão. Ao todo, foram analisadas 50 mil mulheres.

11. Aumenta a expectativa de vida

Quem quer viver mais, deve tomar mais café, de acordo com uma investigação do Instituto Nacional do Câncer (EUA). De acordo com pesquisadores, homens que bebem de três a quatro xícaras de café por dia têm um ganho de 10% na expectativa de vida; já para as mulheres esse número sobe para 13%. Isso ocorre devido ao fato do café ser uma das maiores fontes de antioxidantes.

12. Ameniza sintomas do Parkinson

Pessoas com Parkinson sofrem devido a uma degeneração severa dos neurônios que causa incapacidade de controle voluntário dos movimentos (tremores), rigidez e instabilidade postural. O café pode amenizar esses sintomas, de acordo com uma pesquisa realizada pelo Instituto de Pesquisa da Universidade McGil (Canadá). Cerca de 60 pacientes ingeriram o equivalente a duas xícaras de café por dia e tiveram melhora na coordenação motora. A justificativa é que o café contribui para o funcionamento do neurotransmissor dopamina, que diminui os sintomas da doença.

13. Previne o Alzheimer

A cafeína pode proteger o cérebro contra danos causados por dietas ricas em colesterol e prevenir o Alzheimer. Um estudo publicado pela revista científica Journal of Neuroinflammation mostra que a substância reforça a barreira sanguínea do cérebro, responsável por proteger o sistema nervoso central contra substâncias químicas presentes no sangue. Outras pesquisas já haviam mostrado que altos níveis de colesterol prejudicam o isolamento dessa barreira deixando o cérebro mais vulnerável à doença.

14. Combate inflamações

A inflamação do organismo é uma resposta para o sistema imunológico e o papel da cafeína no processo seria o de regular e reduzir esse problema no organismo. Uma pesquisa realizada pela Universidade Stanford (EUA) comprovou que a cafeína age contra a inflamação crônica do corpo causada pelo envelhecimento. “Diversos estudos apontam que a cafeína, principal substância encontrada na bebida, auxilia na prevenção e tratamento de doenças por ter efeito anti-inflamatório”, destaca Renata.

15. Reduz risco de AVC

Estudos sugerem que beber café regularmente diminui o risco de acidente vascular cerebral (AVC). O Nurses Health Study fez uma pesquisa com mais de 83 mil mulheres e mostrou que o consumo regular de café estava associado a uma redução no risco de derrame, devido ao efeito antioxidante da bebida. “Alguns estudos indicam que o café tem efeito antioxidante, diminui a acumulação de gorduras saturadas e reduz a resistência à insulina, propriedades que podem minimizar o risco de AVC”, diz Renata Domingues, nutróloga e vice-presidente da Associação Brasileira de Nutrologia Médica (Abranutro).

16. Diminui riscos de esclerose múltipla

Quem consome de quatro a seis xícaras de café por dia pode ter menos chance de desenvolver esclerose múltipla concluiu um estudo da Universidade Johns Hopkins de Medicina (EUA). A cafeína tem efeito protetor no cérebro. O estudo norte-americano demonstrou que as pessoas que não beberam café são mais propensas a desenvolver a doença que é autoimune, afeta o cérebro e a medula espinhal.

17. Protege contra danos causados pelo sol

Outro benefício comprovado do café é em relação aos efeitos nocivos do sol. Quanto maior o consumo de cafeína, menores as chances de desenvolver o carcinoma basocelular, um tipo de câncer de pele. A Escola de Medicina da Harvard (EUA) avaliou os dados de mais de 110 mil participantes, sendo que cerca de 22 mil desenvolveram carcinoma basocelular durante 20 anos de acompanhamento. Os pesquisadores chegaram à conclusão de que a cafeína pode bloquear o desenvolvimento de tumores na pele.

Benefícios ainda em estudo

  • Diminui o estresse: pesquisadores do Instituto de Farmácia da Universidade de Bonn (Alemanha) descobriram que o café também contribui para reduzir os efeitos do estresse. O consumo da bebida ativa um composto químico que bloqueia um mecanismo no cérebro que desencadeia diversos sintomas do estresse. Foram realizados testes em camundongos;
  • Melhora a visão: alguns estudos apontam que o café pode prevenir a deterioração da visão e afastar uma possível cegueira causada por degeneração da retina devido ao glaucoma, o envelhecimento e diabetes. De acordo com uma pesquisa publicada no Journal of Agricultural and Food Chemistry, o consumo da bebida ajuda a combater problemas na retina em ratos. “Ainda não há comprovação científica sobre o assunto em humanos. Alguns estudos anteriores afirmam que em excesso o café pode comprometer a visão”, explica Waitzberg.

Quanto de café posso consumir por dia?

Quem ama café tem que ficar atento nas doses diárias para não comprometer a saúde. É consenso entre os especialistas e pesquisadores de que a quantidade máxima recomendada por dia de café é de 400 mg de cafeína, equivalentes a três ou quatro xícaras médias de café coado. Consumindo nessa quantidade, você potencializa os efeitos positivos do café.

“Doses elevadas do café podem induzir efeitos negativos tais como taquicardia, palpitações, insônias, gastrite, ansiedade, refluxo gastroesofágico, tremores, dores de cabeça e náuseas”, afirma Breno da Silva Lozi, professor de nutrição e dietética no Centro de Ensino Enf-Ciência – Carangola/MG.

Mas, o profissional reforça que, apesar dessa quantidade ser considerada segura para a saúde, não significa que todos podem ou devem tomar.

“É importante reconhecer os efeitos da cafeína no organismo, se a pessoa fica muito agitada ou sem sono, é importante diminuir o consumo, por exemplo” – Breno da Silva Lozi, professor de nutrição e dietética.

Como consumir café

A maneira mais saborosa e saudável de obter os benefícios do café é moendo os grãos imediatamente antes do consumo. E para aproveitar os benefícios da bebida o ideal é que seja sem açúcar ou adoçante. Os apreciadores de café argumentam que o café puro é mais saboroso. “Evite adicionar leite, creme de leite, chantili ou muito açúcar. Opte por algumas gotas de leite desnatado, estévia ou açúcar mascavo. Isso ajudará a diminuir o teor de calorias”, afirma a nutróloga Domingues.

Os métodos de preparo também influenciam nos benefícios. Dois elementos químicos dos grãos do café, o cafestol e o caveol, elevam os níveis de colesterol no sangue e podem ser ativados de acordo com a forma de preparação da bebida. Veja, a seguir, as formas mais tradicionais e as diferenças para o organismo.

  • Coado: O pó é colocado em um filtro de papel ou pano na hora de preparar. Depois, joga-se água quente por cima. Dessa forma, retêm-se as substâncias que podem elevar o colesterol ruim;
  • Expresso: a pressão da água vai a 90° C e o café ganha um maior teor de compostos bioativos e antioxidantes. Mas por não ser coado não impede os itens que elevam o colesterol;
  • Instantâneo: a forma mais prática de preparar o café, mas pode apresentar um sabor diferente ao coado ou espresso. Costuma trazer mais cafeína e antioxidantes.

Quem deve evitar café?

Algumas pessoas podem não receber os benefícios do café e ter a saúde comprometida ao consumir a bebida. No caso das mulheres grávidas, a cafeína pode interferir em uma substância chamada adenosina, que é importante para formação do bebê. Em excesso, pode causar abortos. Entenda melhor a relação entre o café e a gravidez aqui.

Quem tem gastrite também deve evitar consumir a bebida, pois a cafeína estimula a secreção gástrica e causa desconforto no estômago. “Há também pessoas que são mais sensíveis ao efeito da cafeína e pode atrapalhar o sono. E é bastante comum causar sintomas de ansiedade em pessoas que já possuem esse problema”, afirma Maria Fernanda.

Existe abstinência ao café?

Boa parte dos consumidores de café não parece desenvolver dependência da cafeína. Porém, alguns estudos científicos relatam que essa situação pode verificar em pequenos grupos da população, como em casos de pessoas com histórico de abuso de substâncias químicas ou desordens psiquiátricas.

“A interrupção abrupta do consumo de café pode causar ansiedade, cefaleia, cansaço, fraqueza, sonolência, redução da concentração, depressão, irritabilidade, tensão muscular aumentada, dores musculares. O cérebro depois de um tempo de consumo reconhece o café como uma recompensa”, afirma Lozi.

De VivaBem (https://vivabem.uol.com.br/noticias/redacao/2018/09/20/beneficios-do-cafe-para-a-saude-veja-como-e-quanto-consumir.htm?utm_campaign=saude&utm_medium=referral&utm_source=flipboard)

Compartilhar

Artigo publicado em 20 de setembro de 2018 por Jorge

Comentários